Fanzine Brasil

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

5 CURIOSIDADES SOBRE A BANDA SIOUXSIE AND THE BANSHEES

Por Juliana Vannucchi

 Abaixo, selecionamos cinco fatos interessantes sobre a trajetória dos Banshees. A lista foi  escrita a partir de informações presentes na biografia oficial da banda, intitulada “Siouxsie & The Banshees - The Authorised Biohraphy”. O livro é excelente e é, com certeza, uma leitura indispensável para os fãs. Aos poucos, pretendemos traduzir, produzir e comentar alguns outros trechos do livro, e começaremos isso a partir de agora, com essa postagem inaugural!

1.  UMA PINCELADA PELA INFÂNCIA DE SIOUXSIE SIOUX...


Susan Janet Ballion nasceu em 27 de maio de 1957, num hospital chamado Guy’s Hospital. Ela cresceu em Chileshurst, nos subúrbios de Londres.

Os pais de Siouxsie Sioux se conheceram no Congo Belga, um território africano que é administrado pelo Reino da Bélgica. Seu pai era um bacteriologista e sua mãe, uma secretaria bilíngue - e segundo a cantora, uma mulher muito independente que também era praticamente “o homem da casa”. Por parte de mãe, Sioux tinha um avô escocês que que era médico e trabalhou na Primeira Guerra Mundial. Siouxsie teve um irmão e uma irmã, respectivamente oito e dez anos mais velhos do que ela. O irmão faleceu em meados de 2015. Ele era torcedor fanático do Wolverhampton, e influenciou Sioux a torcer para o mesmo time. E sim, a vocalista dos Banshees gosta de futebol! 

Sua primeira memória musical é a canção “Johnny Remember Me”, um clássico de John Leyton. Ela era obcecada por essa canção. Sua mãe a levava no cinema com muita frequência e elas sempre assistiam aos filmes de Doris Day e de Rock Hudson. Sioux também tinha um grande apreço pelos antigos desenhos da Disney e gostava bastante do filme “A Branca de Neve”. Um longa que ela assistiu quando era muito jovem e que a marcou bastante, foi “Psicose”, dirigido por Alfred Hitchcock, de quem ela sempre foi uma grande admiradora. 

Um fato que se tornou importante na vida da artista, foi o problema que seu pai teve com a bebida. Durante esse dificultoso período, a música, os livros e a fantasia foram sua válvula de escape. Mas apesar de gostar de livros, Sioux revela que odiava a escola, pois era um ambiente que fazia com que ela se sentisse muito desconfortável.


2. UM POUCO MAIS SOBRE STEVEN SEVERIN...


Steven Severin, baixista e cofundador dos Banshees, cujo nome real é Steven Bailey, nasceu em 25 de setembro de 1955, no hospital Whittington, localizado no norte de Londres.

Ele conta que se sentia seguro durante o período da infância, pois naquela época, Londres era uma cidade diferente e, no geral, as pessoas tinham razões para se sentirem assim. Cresceu com a mãe e o pai e, conforme relata, também cresceu cercado por mulheres, pois na sua casa moravam a avó e Diane, sua irmã caçula. 

Foi um bom aluno durante os primeiros anos de escola e teve uma adolescência que considera normal. Era especialmente bom em inglês e matemática. O primeiro show que assistiu na vida foi de David Bowie e o primeiro álbum que verdadeiramente o marcou foi o “White Album”, um grande clássico do The Beatles, que ele e um amigo costumavam escutar religiosamente...


3.  E COMO FOI A INFÂNCIA DO BATERISTA BUDGIE?
 
Budgie nasceu no dia 21 de agosto de 1957, em St Helens.

Em relação às suas memórias musicais, ele conta que seu irmão (que é dez anos mais velho) tinha uma ótima coleção de discos, dentre as quais havia álbuns de bandas como The Kinks e The Troggs. Ele também tinha grande apreço pelos Beatles. Contudo, sua tranquila infância foi bruscamente interrompida pelo falecimento da mãe, que partiu quando Peter tinha apenas 12 anos. Após esse acontecimento, ele foi morar com uma tia para poder se recuperar melhor de sua dolorosa perda. Ela o ensinou a tocar “Choosticks” no piano e, conforme o baterista dos Banshees conta, essa foi a primeira vez que ele aprendeu a tocar uma canção num instrumento musical.

Budgie diz que gostava da escola, mas que era um menino demasiadamente tímido. Apreciava as disciplinas de inglês e de artes. Na adolescência, se interessou por bandas de Krautrock e mais tarde se apaixonou por T.Rex e Roxy Music. Com o tempo, Peter foi criando outros gostos sonoros e se afeiçoando pela bateria. O piano foi, de fato, apenas a porta de entrada para o seu mundo musical...
 
Ele teve passagens notáveis pelas bandas “Big In Japan” e “The Slits” antes de se juntar aos Banshees, com quem subiu ao palco pela primeira vez no dia 18 de setembro de 1979, numa apresentação realizada na cidade de Leicester.


 
4. O LANÇAMENTO DO SINGLE ‘HONG KONG GARDEN’:

A letra de uma das músicas de maior sucesso dos Banshees foi inspirada numa memória da infância de Siouxsie. Quando a vocalista tinha aproximadamente 12 anos de idade, abriu um restaurante chinês perto de onde ela morava, e no entorno desse estabelecimento sempre havia muitos skinheads, que praticavam atos racistas contra os funcionários do local, fato que a incomodava bastante.

Depois que Siouxsie escutou pela primeira vez a música editada, ela se impressionou com a maneira como sua voz soou com o uso de tratamentos de edição. “Foi uma revelação”, conta a vocalista. “Quando nós ouvimos a versão finalizada de ‘Hong Kong Garden’, eu fiquei pasma. Eu não consegui acreditar que éramos nós”. Na biografia, Siouxsie também menciona que os Banshees logo receberam aprovações e excelentes comentários por parte da crítica e, então, naquele período, ela percebeu que pela primeira vez na vida, estava fazendo algo em que era boa, algo que realmente gostava de fazer: “Aquele sentimento era poderoso”.

A respeito da arte do single “Hong Kong Garden”, Severin revelou: “Eu encontrei a imagem para ‘Hong Kong Garden’ numa revista. Pensei que seria interessante colocar uma menina escondendo o seu rosto – isso seria o oposto do que as pessoas gostariam de ver num encarte. Tenho certeza de que a Polydor  (a gravadora) teria amado uma foto da Sioux, mas eles não iriam conseguir isso”.
 
O single foi lançado em 18 de agosto de 1978
 
5. O PROCESSO DE CRIAÇÃO DO THE SCREAM...

De acordo com a vocalista dos Banshees, muitas pessoas pensavam que o nome do álbum havia sido inspirado na pintura “O Grito”, feita pelo pintor alemão Edvard Munch. Porém, na biografia oficial da banda, ela esclarece que a inspiração veio de um filme chamado “The Swimmer” (em português, “Enigma de uma Vida”), com o ator Burt Lancaster. O longa narra a história de um protagonista que quer retornar nadando para a casa e, então, começa a pular de piscina em piscina, de lar em lar, até chegar no local em que deseja.
 
Severin comentou que o álbum tinha uma capa diferente e “nada Punk”. Os Banshees pareciam querer se afastar desse gênero em termos estéticos e até mesmo ideológicos. Sioux comenta também que nessa época, ela e os outros integrantes estavam inteiramente focados na banda. Eles tinham inúmeras ideias vagando em suas mentes e tudo lhes parecia possível... 

O primeiro álbum de estúdio dos Banshees foi lançado em novembro de 1978

0 comentários:

Postar um comentário

TwitterFacebookRSS FeedEmail