Fanzine Brasil

SIOUXSIE SIOUX - SOPROS DE VIDA

Grandes homens, assim como grandes tempos são um material explosivo interior do qual uma força imensa é acumulada (....)

“DISCO DA BANANA”- A OBRA PRIMA IGNORADA

Eu sabia que a música que fazíamos não podia ser ignorada

SEX PISTOLS - UM FENÔMENO SOCIAL

Os Sex Pistols foram uma das bandas de Rock mais influentes da história.

ATÉ O FIM DO MUNDO

Com custos acima de mais dez milhões de dólares, é um filme encantador, artístico, típico das obras de Wim Wenders, realmente, é uma obra fascinante, mais uma certo do diretor alemão.

AFINAL, COMO SURGIU O CINEMA?

Um breve questionamento e historio sobre o assunto.

ATÉ O FIM DO MUNDO

Com custos acima de mais dez milhões de dólares, é um filme encantador, artístico, típico das obras de Wim Wenders, realmente, é uma obra fascinante, mais uma certo do diretor alemão.

WOLF CITY - AMON DUUL II

Wolf City é um dos maiores clássicos do Rock Progressivo. É um álbum que celebra magicamente este gênero musical, e que é foi gravado por artistas imensamente talentosos

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

AFINAL, COMO SURGIU O CINEMA?


Um breve questionamento e histórico sobre o assunto

Normalmente classifica-se e considera-se que o cinema tenha surgido no dia 28 de dezembro de 1885, graças a uma invenção dos irmãos Auguste e Louis Lumière. Eles foram responsáveis pela criação do “cinematógrafo”, aparelho que permitia exibir imagens em movimento. Eles eram filhos do industrial chamado Antoine Lumière, que era fotógrafo e fabricante de películas fotográficas, proprietário da Fábrica Lumière.

Entretanto, embora haja um imenso reconhecimento dos Lumière devido ao seu advento, a história do cinema começou muito anteriormente a essa data, e, o cinematógrafo foi somente um aperfeiçoamento de uma tentativa muito mais antiga de produzir imagens em movimento. Claro que a contribuição dos Lumière foi fundamental para termos chegado ao cinema que conhecemos hoje, porém, não podemos negar que outros nomes fizeram parte dessa história.


Quanto mais os historiadores se afundam na história do cinema, na tentativa de desenterrar o primeiro ancestral, mais eles são remetidos para trás, até os mitos e ritos dos primórdios. Qualquer marco cronológico que possam eleger como inaugural será sempre arbitrário, pois o desejo e a procura do cinema são tão velhos quanto a civilização de que somos filhos. (Machado,1997, p. 15).

Depois exibição pública dos irmãos Lumière, o francês Meliés destacou-se e deixou sua marca na história do cinema. “Meliés começou a realizar filmagens no estilo dos irmãos Lumière, mas então descobriu o potencial da câmera para o ilusionismo, basicamente inventando os efeitos especiais.” (Frayling e Kemp, 2011 p. 21).

Logo em seguida, surge David Griffith como um dos maiores nomes da história do cinema por suas inovações nas técnicas de filmagem. “É com o cineasta americano D. W. Griffith, cujos filmes Nascimento de Uma Nação (1915) e Intolerância (1916), marcam o fim do cinema primitivo e o início da maturidade linguística.” (Bernardet, 2009 p. 37).
A partir de David Griffith o cinema assume uma nova linguagem e evolui constantemente, principalmente com a era sonora do cinema que tem início em 1927. “Na virada do século, o cinema provou que era uma invasão com um longo passado e, ao contrário do que dizia (mas provavelmente não pensava) Louis Lumière, com bastante futuro.” (Machado, 1997, p. 24).

“Aos poucos a linguagem cinematográfica foi-se construindo e é provavelmente aos cineastas americanos que se deve a maior contribuição para a formação desta linguagem cujas bases foram lançadas até mais ou menos 1915.” (Machado, 1997, p. 32). Daí em adiante, houve cada vez mais, um aperfeiçoamento formal na sétima arte, tanto no que diz respeito a mudanças no conteúdo (histórias) dos filmes, quanto na parte técnica, não somente em relação à linguagem, mas, também, a fotografia, roteiro, ângulos de câmera e etc. Mais para frente, veremos mais detalhadamente outros aspectos fundamentais da História do Cinema.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

ALEJANDRO JODOROWSKY


Por: Vannucchi

Alejandro Jodorowsky nasceu em Tocopilla, Chile em 7 de Fevereiro de 1929. É cineasta, poeta, escritor, e também psicólogo. Mudou-se para a capital chilena, Santiago, em 1942, para estudar na universidade. Nesse período, Alejandro trabalhava como palhaço de circo e artista de marionetes.

No ano de 1955 mudou-se para Paris, onde estudou mímica com Marcel Marceau. Trabalhou com Maurice Chevalier e fez seu primeiro filme, chamado "La Cravate". Também em Pari, Alejandro conheceu Roland Topor e Fernando Arrabal, e juntos, em em 1962, criaram o Moviment Panique.

O grupo multimídia, que homenageava o deus grego Pan (divindade dos bosques, ligada à natureza), fazia performances ao vivo, e misturava o teatro de vanguarda, a literatura e o cinema. Nesta época, Jodorowsky escreveu diversos livros e peças teatrais. No final dos anos 1960, ele dirigiu peças de vanguarda em Paris e também  na Cidade do México. Além disso, ele criou a tira de história em quadrinhos "Fabulas Panicas", e fez o filme Fando y Lis, no ano de 1967, baseado em uma peça de Arrabal.

Jodorowsky é um diretor bem diferente, que gosta de tentar sempre algo novo em suas produções.

Em 1971, Jodorowsky lançou El Topo, um faroeste surrealista, criativo e vanguardista. Graças a seu mais ilustre fã, o John Lennon, o filme, na época foi amplamente comentado e distribuído na América. Já no ano de 1973, lança The Holy Mountain, filme surrealista, recheado de simbolismo que viria a ser um grande sucesso do diretor.

Em 1975, retorna à França, e tenta fazer uma versão cinematográfica do romance "Duna", de Frank Herbert, que teria a participação do renomado diretor Orson Welles e Salvador Dali, e trilha sonora da banda clássica Pink Floyd. Além disso, o filme contaria com a colaboração visual dos artistas H. R. Giger, Dan O'Bannon e Möebius. O financiamento do filme foi retirado, e o romance acabou sendo filmado nos EUA por David Lynch.

O próximo filme de Jodorowsky foi Tusk, de 1978, que conta a história da amizade entre uma garota e um elefante. No início dos anos 1980, Jodorowsky dedicou-se a escrever histórias em quadrinhos. A mais famosa delas com Moebius, e também, nessa mesma época, continuou escrevendo livros. No ano de 1989 voltou ao cinema com Santa Sangre, que foi bastante elogiado pela crítica mundial. E enm 1990 dirigiu Oma Shareef e Peter O'Toole em The Rainbow Thief. Ao longo dessa mesma década, Jodorowsky continuou escrevendo, produzindo quadrinhos, e declarou estar interessado em produzir um filme chamado Os Filhos de El Topo. Em 2013 trabalhou no filme La Danza De La Realidad.

Jodorowsky é um diretor bem diferente, que gosta de tentar sempre algo novo em suas produções, e é uma pessoa muito ligada às diversas formas de arte. O diretor chileno possui uma filmografia com um total de oito filmes, e, com certeza, vale a pena assistir a pelo menos um dos trabalhos de Jodorowsky.


quarta-feira, 6 de agosto de 2014

LES AMANTS DU FLORE

Por: Vannucchi

Esse filme francês do ano de 2006, acabou sendo pouco popular no Brasil. Mas é uma preciosidade para estudantes e amantes da Filosofia. Uma viagem pelas brilhantes mentes de Sartre e Simone, e pela imensa sabedoria desses dois grandes pensadores europeus. São duas almas que se atraíram pelas semelhanças, e se completaram com suas diferenças. A Filosofia é capaz de despertar paixão, não somente no que diz respeito ao pensamento, mas no que se refere à inevitável união de dois corações, que, por vezes, se tocam, e nunca mais se separam.

Simone é uma das mulheres mais admiráveis que o mundo já conheceu. Uma filósofa encantadora, com pensamentos à frente de seu tempo, e sem medo de manifestar suas ideias diante de uma sociedade ainda conservadora em determinados aspectos. E Sartre, um dos grandes gênios da Filosofia foi responsável pelo desenvolvimento da corrente de pensamento Existencialista, além de ser um dos maiores representantes da mesma. Além disso, também foi produtor de uma vasta de quantidade de obras essenciais para a compreensão do progresso do pensamento filosófico ao longo da contemporaneidade.
 
Esse filme é um produção valiosa que leva o espectador acompanhar a doce jornada de duas mentes fantásticas que, se uniram por amor, e pela vontade de expor suas

TwitterFacebookRSS FeedEmail